No Dia Mundial do Doador de Sangue, Vetnil destaca a atuação e importância dos bancos de sangue animal

14 de junho de 2021

Doar sangue pode ajudar a salvar vidas e, embora muitos desconheçam, isso não diz respeito apenas aos seres humanos. Por isso, a Vetnil, parceira de quem cuida e uma das empresas líderes em saúde animal, aproveita a data de 14 de junho, Dia Mundial do Doador de Sangue, para ressaltar a importância desse ato ao que se refere aos animais de estimação. Responsável por apoiar diversas ONGs e entidades ligadas aos cuidados de cães e gatos, a marca reforça e incentiva aos tutores o quanto isso pode ser essencial à vida dos animais que precisam, por diferentes motivos, recorrer a uma transfusão em bancos de sangue veterinários.

Embora seja um procedimento seguro, existem alguns requisitos que precisam ser atendidos para que os animais doadores se encaixem nesse perfil. Os cães, por exemplo, além de estarem saudáveis e não fazerem uso de medicamentos contínuos, precisam ter o peso acima de 25kg, serem adultos, com idade entre 1 e 8 anos, estarem com a vacinação e vermifugação em dia, livres de pulgas e carrapatos e nunca terem recebido uma transfusão anteriormente. Enquanto os gatos, por sua vez, precisam atender as mesmas condições, com exceção do peso corporal, que precisa estar acima dos 3,5kg. Para ambas as espécies, no caso das fêmeas, é importante ter a certeza de não estarem prenhes ou no cio.

De acordo com Dra. Camila Aparecida de Almeida Maia, Médica Veterinária do Banco de Sangue Veterinário Transfucão, localizado na zona norte de São Paulo, a maior dificuldade para atrair os doadores é levar ao conhecimento dos tutores a existência e necessidade constante desses centros, assim como a segurança que envolve todo o procedimento. “Registramos, em média, a presença de 60 gatos e 180 cães doadores por mês, que muitas vezes fazem uma única doação e não retornam mais, embora tenham o perfil compatível e atendam todos os pré-requisitos. As bolsas de sangue apresentam capacidade aproximada de 60ml para gatos e 450ml para cães, o que não causa problema nenhum ao pet doador, mas ainda assim, os tutores ficam receosos em manter esse cadastro conosco de forma contínua. É um procedimento muito rápido e com apenas uma doação, podemos salvar outras vidas, já que aproveitamos os diferentes componentes sanguíneos para tratamentos específicos”, destaca a Médica Veterinária.

Segundo Dr. Luiz Felipe de Sousa, Médico Veterinário do Banco de Sangue, Amazoo, localizado em Jundiaí, interior de São Paulo, além dos padrões de compatibilidade, os pets que farão a doação passam por alguns exames, a fim de garantir que esteja em perfeitas condições de saúde e livre de doenças comuns às espécies em questão. “Os cães passam por exames como hemograma completo, funções renais e hepáticas, sorologia de doença do carrapato e leishmaniose. Já os gatos, além do hemograma completo e das funções renais e hepáticas, fazem exames de sorologia para Aids e leucemia felina. Com os exames todos dentro do esperado, realizamos a coleta e direcionamos aos centros veterinários que necessitam”, declara o especialista.  

Para Cristiano de Sá, Diretor de Marketing e Novos Negócios Vetnil, a iniciativa da empresa em apoiar essas entidades é justamente contribuir para continuidade de um trabalho que já existe há alguns anos e é responsável por salvar milhares de vidas. “Quando conversamos com os tutores, poucos têm conhecimento sobre a existência dos bancos de sangue, então, percebemos que é um trabalho que merece visibilidade e todo nosso apoio. Se temos tanto carinho e amor pela vida dos nossos pets, não custa nada contribuir para que outros animais possam ter uma segunda chance e mais tempo junto aos seus tutores também”, conclui.