4m8tbc79

Estandes sustentáveis são a aposta

9 de fevereiro de 2011

Estande da Vetnil construído com tubos de papel reciclado.

 

Estandes sustentáveis são a aposta

 

Apesar de vista como tendência, ação é tímida entre expositores

 

 

Estande da Vetnil construído com tubos de papel reciclado, na feira Anclivepa, no Pará

 

 

O tema da sustentabilidade tem sido a tônica das organizadoras de feiras no país.

 

Iniciativas como coleta seletiva de lixo e compensação de carbono, que inclui o plantio de árvores para neutralizar o CO2 emitido, são recursos para reduzir o impacto ambiental dos eventos.

 

Grandes promotoras, como a Reed, e organizadoras de feiras segmentadas, como a Apas (Associação Paulista de Supermercados), mantêm iniciativas de reciclagem.

 

Na ForMóbile, feira de fornecedores das indústrias de madeira e móveis, por exemplo, 30% dos resíduos sólidos gerados nos quatro dias de evento foram reciclados. O restante foi enviado para um aterro certificado com ISO 14.001, de diretrizes na área de gestão ambiental.

 

A Adventure Sports Fair promoveu a transformação de 300 kg de

resíduos orgânicos em adubo natural e destinou espaço para uma seção na qual foram usados apenas materiais de edições passadas e resíduos de estandes.

 

 

ADESÃO

 

É uma tendência [a adoção de ações sustentáveis], diz o gerente-geral da Feiras Brasil, de catálogo de eventos, Reginaldo Chaves, 65.

 

Muitas vezes, contudo, as ações são desenvolvidas apenas por promotoras, sem adesão de expositores na montagem dos estandes.

 

A WR, promotora da Mega Artesanal, feira de artesanato com 400 expositores, arca sozinha com os custos de reciclagem, que podem alcançar R$ 20 mil. Para este ano, a ideia é discutir a neutralização de CO2 com as empresas participantes. Assim, vemos a aceitação da iniciativa, destaca a diretora da empresa, Rita Mazzotti.

 

A maioria das empresas não coloca [o gasto] no budget, sinaliza o diretor da Reclicagem Gestão e Marketing Ambiental Caio Queiroz, 32.

 

O setor ainda está muito cru a esse respeito, reflete ele, adicionando que tem feito permutas e buscado patrocinadores para promover ações sustentáveis nas feiras.

 

 

 

TUDO RECICLÁVEL

 

Mas há expositores que apostam no conceito de sustentabilidade, como a Vetnil, laboratório de produtos veterinários, que emplacou

um estande “100% sustentável” na feira Anclivepa, no Pará.

 

A área incluiu paredes feitas de tubo de papel reciclado e canetas de papelão -todos sinalizados para os visitantes. Até as camisetas eram feitas de garrafas PET.

 

Não foi possível mensurar resultados diretos, mas, segundo o diretor de marketing da empresa, Cristiano de Sá, 36, o retorno para a marca justificou a adoção da estratégia na Pet South America, de produtos e serviços veterinários, em São Paulo.

 

O valor gasto no estande, diz Sá, é similar ao de um sem compromisso ambiental. O investimento vai de R$ 400 a R$ 500 por m2.

 

 

Fonte: Folha de São Paulo – São Paulo, domingo, 09 de janeiro de 2011.